Especialista dá dicas de como exercitar mindfulness e meditação

Transtornos mentais, como ansiedade, associados ao isolamento e a Covid-19 afetam o dia a dia dos brasileiros; Busca na internet por “como fazer meditação para ansiedade” cresceu 4.000%

Mais de um ano após o início da pandemia causada pela Covid-19, e em uma realidade em que casos e mortes aumentam de forma crescente, pode-se dizer que a saúde mental de muitas pessoas isoladas até agora é motivo de preocupação entre especialistas no assunto. Um cenário que se mostra em pesquisas: pelas projeções da Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças mentais serão prevalentes nos próximos 10 anos, agravadas pela pandemia da Covid-19.

Buscar válvulas de escape e formas de controlar a ansiedade também tem aumentado nas redes: as buscas pelos termos meditação e mindfulness atingiram o recorde dos últimos 16 anos, segundo levantamento do Google. Em relação ao ano passado, a pergunta “como fazer meditação para ansiedade” cresceu 4.000% e o aumento de “benefícios da meditação” chegou aos 200%.

E, segundo o psiquiatra Marco Abud, a prática é, de fato, altamente benéfica para períodos como esses em que, além de ansiedade (ou por causa dela) também aumentaram os casos de insônia no país. Ainda de acordo com a OMS, cerca de 40% dos brasileiros apresentam esse problema.

Isso tem afetado não só a saúde mental em geral, mas a vida prática de muitos: segundo o Ministério da Economia, em 2020, houve recorde de concessões de auxílio-doença e aposentadorias por invalidez decorrentes de doenças relacionadas à depressão e à ansiedade. Os afastamentos por transtornos mentais tiveram aumento de 33,7%, saltando de 213,2 mil, em 2019, para 285,2 mil, em 2020.

Mas então, como conseguir exercitar o mindfulness? O especialista, que lidera o canal no Youtube Saúde da Mente – o maior do país sobre o tema, com mais de 1,5 milhão de inscritos – ensina técnicas para incluir a prática no dia a dia. “A maioria dos brasileiros estão desolados com a situação da pandemia. Além dos números assustadores, do isolamento social e do medo de perder alguém ou ficar doente, há também uma nova rotina, que mistura o ambiente de trabalho com o doméstico e pessoal, sobrecarregando ainda mais o dia a dia. A prática da meditação e de mindfulness ajuda a minimizar esse cansaço físico, aliado com a exaustão mental”, explica.

A seguir Marco Abud esclarece as principais dúvidas sobre o mindfullness. Confira:

Qual é a diferença entre mindfulness e meditação?
Mindfulness é um estado mental (que envolve três componentes: estar no presente, sem julgar e com postura de gentileza). Esse estado mental pode ser desenvolvido por meio da prática regular de tipos específicos de meditação. A meditação mindfulness é o processo pelo qual uma pessoa desenvolve a capacidade de estar conectado(a) ao momento presente.

Por que devo praticar mindfulness?
Psicólogos, médicos e neurocientistas têm estudado os efeitos do MINDFULNESS no cérebro e no bem-estar através de décadas, e agora sabemos que a meditação mindfulness feita de forma regular está associada a efeitos extremamente positivos para a saúde, incluindo níveis mais baixos de estresse, aumento da felicidade e do bem-estar. Assim como há muitas razões para fazer atividade física (perder peso, ficar mais forte, se sentir melhor, ser mais saudável, etc.) há muitas razões para meditar.

Quando é um bom momento para praticar mindfulness?
A melhor coisa sobre o mindfulness é que você pode se tornar totalmente atento(a), conectado(a) e curioso(a) sobre qualquer atividade, a qualquer momento. Desde escovar os dentes e tomar banho, até fazer uma xícara de chá ou ir para o trabalho – assim que você perceber que está fazendo algo de forma rápida e sem pensar, você tem a possibilidade respirar fundo e prestar atenção nessa atividade.

Em relação à prática de meditação, é difícil meditar quando estamos muito cansados, sonolentos, exaustos ou quando estamos muito agitados. Quando você sentir que está alerta e não muito inquieto(a), é uma boa hora para treinar a meditação.

A meditação precisa ser longa?
O objetivo é chegar a 10 a 20 minutos por dia. Mas isso é uma meta final, como correr uma mini-maratona. Não vamos começar a fazer atividade física já correndo uma maratona. Isso diminui muito nossa chance de sucesso e não é agradável. O ideal é começarmos com poucos minutos ao dia, 2 a 3 minutos. E irmos aumentando conforme fortalecemos essa habilidade.

Fonte: Dr. Marco Abud, canal Saúde da Mente / Foto ilustrativa: Pexels

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *