Pesquisa mostra que 43% dos entrevistados com alguma doença crônica interromperam tratamento

Segundo o estudo, 58% adiaram os exames médicos durante o mesmo período

Sobre a manutenção de hábitos saudáveis, também houve uma piora. Foi registrado um aumento de 7 pontos percentuais, de 19% para 26%, no número de pessoas que admitem ter a vida pouco ou nada saudável antes e depois da pandemia. O sentido inverso, foi uma queda de 10 pontos percentuais, passando de 43% para quem considerava ter estilo de vida muito saudável e saudável para 33%.

Quando falamos da prática de atividades físicas regulares, 31% estão fazendo menos do que antes da pandemia, sendo que destes, 22% interromperam completamente. Enquanto apenas 2% passou a se exercitar mais, 7% manteve suas atividades e a grande maioria, 49%, não praticava e continua sem praticar.

O consumo alimentar aumentou consideravelmente durante a pandemia. 51% das pessoas admitem estarem comendo mais ou muito mais, em comparação ao período antes da pandemia. Somente 10% reduziram a ingestão alimentar, sendo 3% muito menos e 39% continuam se alimentando igualmente.

COVID-19

Sobre o exame da COVID-19, ainda existe uma parcela pequena da população que fez o exame e 67% dos entrevistados não fizeram nenhum teste para COVID-19. Entre os 33% que fizeram, 61% foi por indicação médica e apenas 39% por iniciativa própria.

Amostra e Metodologia

Foram entrevistadas 200 pessoas, em São Paulo e Rio de Janeiro. Sobre os entrevistados desta pesquisa, pode-se dizer que: 53% são homens e 47% são mulheres, a idade média é de 46 anos, sendo que 37% tem de 31 a 50 anos, 22% de 18 a 30 anos e 44% tem de 51 a 75 anos. Quase a metade (ou 49%) tem ensino médio completo e 32% graduação completa. 59% são de classe C, 16% de classes D/E e outros 26% são de classes A/B.

Metade (ou 65%) dos entrevistados tem algum plano ou seguro de saúde. Esse índice aumenta entre de classes A/B (82%). 35% não o possui e são, principalmente, os de classes D/E (61%).

De modo geral, 6 em cada 7 entrevistados (ou 86%) tem alguma das nove doenças questionadas: Diabetes (33%), Cardiovascular (26%), Tireoide e Gástrica (iguais 12%), Renal (8%), Neurológica (7%), Câncer (6%), Reumática (6%) e Aids (1%). Apenas 14% não possuem nenhuma delas. Em média, os entrevistados convivem com suas doenças há nove anos.

Fonte: Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) / Foto ilustrativa: CanStockPhoto

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *