Especialista dá dicas para alimentação saudável na infância

Comer mal pode causar deficiências nutricionais que afetam desenvolvimento infantil

Uma alimentação saudável é importante em todas as fases da vida, mas na infância merece atenção maior, já que a criança está em processo de crescimento e desenvolvimento. É neste momento que os pequenos precisam de todos os nutrientes para promover saúde e prevenir doenças.

A coordenadora do curso de Nutrição da Faculdade Anhanguera, Liliany Faicari, destaca que uma dieta desbalanceada e pobre em nutrientes, normalmente decorre de má alimentação e pode ocasionar deficiências nutricionais que afetam diretamente os aspectos emocionais, intelectuais e físicos do desenvolvimento infantil.

“A alimentação saudável proporciona a manutenção das funções orgânicas necessárias para o desenvolvimento psicomotor e cognitivo, mantendo a atenção, foco, concentração e aprendizagem de forma geral.”

A especialista destaca que a alimentação saudável também impacta positivamente o estado emocional da criança. “O consumo de vitaminas, minerais e gorduras saudáveis podem ajudar nas funções cerebrais e controlar as emoções, impactando o humor e a felicidade da criança”, pontua.

Inserir esses alimentos na rotina infantil pode ser um verdadeiro desafio para os pais e familiares, especialmente devido à falta de tempo e à correria do dia a dia. Lililany ressalta que manter uma alimentação saudável não é algo tão complicado. “O tempo que os pais precisam para abrir um pacote de bolacha é o mesmo levado para descascar uma banana”, exemplifica.

Ela afirma que o primeiro passo para mudar a dieta da criança deve ser o exemplo. “O indicado é que os pais tenham como base a alimentação natural, evitem ao máximo de industrializados e, pensando em aspectos comportamentais, não tentem substituir amor e afeto por guloseimas. Isso pode prejudicar muito a saúde da criança, verdadeiramente”.

A coordenadora na Anhanguera indica 12 passos para alimentação infantil saudável. Confira:

1. Amamentar até 2 anos ou mais, oferecendo somente o leite materno até 6 meses;

2. Oferecer alimentos in natura ou minimamente processados, além do leite materno, a partir dos 6 meses;

3. Oferecer água própria para o consumo à criança em vez de sucos, refrigerantes e outras bebidas açucaradas;

4. Oferecer a comida amassada quando a criança começar a comer outros alimentos além do leite materno;

5. Não oferecer açúcar nem preparações ou produtos que contenham açúcar à criança até 2 anos de idade;

6. Não oferecer alimentos ultraprocessados para a criança;

7. Cozinhar a mesma comida para a criança e para a família;

8. Zelar para que a hora da alimentação da criança seja um momento de experiências positivas, aprendizado e afeto junto da família;

9. Prestar atenção aos sinais de fome e saciedade da criança e conversar com ela durante a refeição;

10. Cuidar da higiene em todas as etapas da alimentação da criança e da família;

11. Oferecer à criança alimentação adequada e saudável também fora de casa;

12. Proteger a criança da publicidade de alimentos.

Por: Ideal HKS / Foto Ilustrativa: Pexels

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.