Por que é necessário cuidar de si?

Para Cláudia Barroso, psicanalista e fundadora do Bem me Care, programa de tratamento emergencial de método psicanalítico para familiares de pacientes que receberam um diagnóstico médico difícil, ainda temos uma dificuldade enorme de cuidar de nós mesmos e acabamos, muitas vezes, sem forças para cuidar de quem amamos.

Precisamos admitir, ainda temos um preconceito enorme com o autocuidado. Acreditamos que cuidar de nós é não cuidar do outro e que só a segunda opção nos torna pessoas “boas”. Então, acabamos, muitas vezes nos doando, especialmente quando temos alguém adoecido na família, e esquecendo de prestar atenção nas nossas próprias necessidades.

“Cuidar de quem amamos, quando necessitam de nós, é o que costumamos nomear como ‘o canto da sereia’, um chamado que nos empodera e nos torna necessários. Em um primeiro momento, parece ser a única e melhor opção e, por isso, costumamos nos entregar a ela”, afirma Cláudia Barroso, que criou o Bem me Care, programa de tratamento emergencial de método psicanalítico para familiares de pacientes que receberam um diagnóstico médico difícil.

Acontece que, com o tempo, a falta de autocuidado gera cansaço, um desarranjo na própria vida e até o adoecimento do próprio cuidador. “Já vimos pessoas com burnout, por exemplo, pelo fato de assumir muitas responsabilidades e acreditar que não tem tempo, ou não pode ter tempo, de cuidar de si”, explica Cláudia.

Segundo ela, o que os atendimentos do Bem me Care mostram é que ajudar a família a lidar com a situação e a escolher a melhor forma de cuidado com o ente adoecido – quem vai cuidar, como vai cuidar, até que ponto consegue cuidar – é de extrema importância inclusive para o tratamento do próprio paciente. “Por isso, o Bem me Care não cuida do paciente, mas dos familiares, amigos e pessoas próximas que têm suas vidas modificadas pela situação, para ajudar exatamente nas readequações necessárias”.

Cláudia explica: “nós deixamos o paciente para ser cuidado pela equipe médica, ele já tem quem olhe por ele. Quem fica à deriva, muitas vezes, é a família, e foi exatamente por isso que a o programa Bem me Care foi criado”. Ao invés de considerar autocuidado como superficial, o programa trata como fator fundamental na reconstrução da dinâmica familiar.

“É visível que pessoas que se cuidam têm mais saúde emocional e física, mais disposição e mais discernimento para cuidar de quem está doente”, enfatiza ela. “Cuidar de si é um benefício que fazemos não apenas a nós mesmos, mas a quem amamos”, finaliza.

Sobre o Bem me Care

O Bem me Care consiste em um tratamento emergencial de método psicanalítico, para familiares de um paciente que acaba de receber um diagnóstico médico que altera drasticamente seu futuro. O programa atua para mobilizar a família diante do impacto causado, estabelecendo um novo equilíbrio e a fortalecendo para enfrentamento da doença. Há 10 anos, o programa já ajudou dezenas de famílias a se organizarem diante de situações impactantes e que necessitam de um novo olhar sobre quem adoece e sobre si mesmo.

Sobre Cláudia Barroso

Cláudia Barroso é Psicóloga Clínica formada pela Fundação Mineira de Educação e Cultura – FUMEC, com especialização em Psicoterapia Breve Psicanalítica pelo Instituto Sedes Sapientiae e Psicoterapia de Casal e Família. É Terapeuta Sexual, formada pelo Isexp e Psicanalista formada através de processo particular. Além de fundadora e idealizadora do projeto Bem me Care e co-autora do livro “O impacto da má notícia médica na família. Uma visão psicanalítica”, é também gestora do Falhei & Disse – Reflexões Psicanalíticas com Entretenimento. Hoje atende crianças, adolescentes, adultos, casais e famílias em seu consultório em São Paulo, atuando também de forma on-line.

Mais informações:

https://www.bemme.care/ contato@bemme.care

Por: Planta e Cresce / Foto Ilustrativa: Pexels

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.